Estréia da coluna de Cinema: A Rede Social por Éder Leite

O Longa mostra os bastidores da criação do Facebook. A Produção levou prêmios de melhor filme, diretor, ator e roteiro adaptado pela associação nacional de críticos de cinema americano

Éder Leite

08 de Janeiro de 2011

____________________________________________________________________________________________

Em 2003 num contexto da dominação de blogs e programações, uma nova idéia se transforma em uma rede social global que faz uma revolução na comunicação, em apenas seis anos são mais de 500 milhões de usuários. A Rede Social (The SocialNetwork, Columbia Pictures, EUA 2010, Dir. David Fincher) é um drama sobre afundação da rede social Facebook (www.facebook.com). Você não consegue 500 milhões de amigos sem fazer alguns inimigos. O sucesso de Mark Zuckerberg o mais novo bilionário da historia veio com complicações pessoais e legais.

Os atores Jesse Eisenberg (sentado) e Joseph Mazzello durante cena do filme 'A rede social'. (Foto: Divulgação)

Rebelde, genial, profeta, traidor, bilionário: O filme mostra as personalidades problemáticas de seus protagonistas vivendo em nossa sociedade produtivista e cadavez mais conectada.

É cada vez mais comum a utilização de termos como: comentar, adicionar amigo,curtir. Responder a perguntas como: Onde você está? No que você está pensando agora? Completar perfis com: Relacionamento, O que você procura.
Vivemos sozinhos conectados a varias pessoas. As inúmeras e crescentes redes sociais proporcionam ao individuo uma experiência social compartilhada, há uma digitalizaçãoda vida real.

O excesso de exposição da vida pessoal pode trazer conseqüências ruins.

cena do filme (Divulgação)

O individuo pode se tornar vulnerável por pensar que não há limite para publicar seus pensamentos, fotos, ideias, particularidades. Pode se tornar vitima de criminosos, a pedofilia tem se tornado um dos crimes mais comuns na rede social Orkut.
Se não souber diferenciar “o espaço público” de “seu espaço privado” um individuo pode estar violando o direito do outro. Frequentemente acompanhamos na mídia o resultado desse tipo de excesso nas redes sociais, como o preconceito contra nordestinos, a homofobia e o racismo. No Brasil não há tanta punição para essetipo de crime, a maioria é apenas justificada simplesmente com “Não era o que eu queria dizer” ou então “posso escrever o que eu penso”, nos Estados Unidos algumas celebridades foram processadas por violarem o direito do outro com suas publicações na rede social Twitter.

Este fato está presente no trailer A Rede Social e mostra que Zuckerberg foi acusadode violar a segurança, direitos autorais, a privacidade de um individuo e a política da universidade em distribuição de imagens digitalizadas.
Liberdade de pensamento é diferente de liberdade de expressão. O fato de Zuckerbergter uma decepção amorosa não justifica “bloggar” difamações a respeito de Erica.

cena do filme 'A rede social'. (Foto: Divulgação)

Alguns confundem uma rede social como uma espécie de diário “particular virtual”
esquecendo que aquilo está acessível ao mundo inteiro, mesmo que seja possível limitar alguns acessos ao conteúdo as políticas de privacidade das redes sociais podem ser violadas

“A Privacidade será uma relíquia de tempos antigos…” Sean Parker – co-fundador doFacebook (Justin Timberlake)
Por outro lado há possibilidade de interação social, uma amizade virtual pode se tornar um relacionamento amoroso real, mesmo que você seja anti-social como Zuckerberg.
Debates científicos e políticos, bem como simples conversas sobre o cotidiano estão presentes diariamente em redes sociais. 
“Elemento fundamental nessas redes sociais é a necessidade de as pessoas verem e serem vistas…, ter contatos que precisam ter e não poderiam ter pessoalmente…“Chico Pinheiro – Jornalista (Bom Dia Brasil 3/1/2011, Rede Globo).
A Rede Social é um filme com muito teor sarcástico em seus diálogos, devido principalmente a personalidade de seus personagens. Algumas criticas afirmam queo roteiro mostra um Zuckerberg anti-herói, discordo, primeiro pelo fato de que nãose trata de um filme da Marvel, segundo que ser anti-social, egoísta, individualista no mundo capitalista que vivemos é sinônimo de um executivo bilionário e não de um vilão da ficção.

Mark Zuckerberg contesta alguns detalhes do roteiro, como o fato de a idéia da criaçãodo Facebook ter partido de sua desilusão amorosa.
O filme é sobre a história da criação do Facebook e alguns possíveis detalhes da vida pessoal de seus criadores. E nos traz a uma reflexão sobre estarmos cada vez mais presentes em redes sociais (virtuais) conectados a pessoas que não conhecemos na realidade. Indico.

Assista o Trailer Oficial


www.twitter.com/ederleitte

Facebook: Eder Leite

4 comentários em “Estréia da coluna de Cinema: A Rede Social por Éder Leite

  1. Os ideais verdadeiros da história não foram mostrados no filme, mas concordo que a adptação de tudo foi sim uma forma de mostrar o quanto as redes sociais se fazem presentes no dia a dia de cada usuário.

  2. parabéns pela estreia na coluna, o texto esta bem acessível e como vc disse, estamos compartilhando nossas vidas através das redes sociais com muitas pessoas, algumas desconhecidas!! falow

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s