Planalto pretende afastar indicado de Romero Jucá em Furnas

Após a crise com o PR entrar em “fogo baixo”, outro curto-circuito ronda o governo. Nas próximas semanas, o Planalto pretende afastar o diretor financeiro de Furnas, Luiz Henrique Hamann, ligado ao líder governista no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).
Desde que assumiu em janeiro, o governo viveu duas crises em sua base aliada. A primeira com o PMDB de seu vice, Michel Temer– em disputas por cargos de segundo escalão e, a mais recente com o PR –envolvendo uma série de escândalos no Ministérios dos Transportes e a baixa do então ministro (Alfredo Nascimento) e de funcionários do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

“A disputa política, o embate de ideias entre os diversos partidos, deve se dar na sociedade, pelos dos meios de comunicação, no parlamento, entre outros espaços”, afirmou Dilma.

A presidente frisou ainda que precisa da cooperação de todas as esferas de governo para que a sociedade se beneficie.

“No executivo, temos que estabelecer parcerias que beneficiem a sociedade. Por exemplo, no Brasil sem Miséria, um ator fundamental será a prefeitura municipal. É o prefeito, por meio de órgãos da administração do município, que terá condições de localizar e assistir cada família que precisa de ajuda. As parcerias que estabelecemos não levam em conta se o prefeito ou o governador são do partido A, B ou C”, ressalta a presidente.

Anúncios

Um comentário em “Planalto pretende afastar indicado de Romero Jucá em Furnas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s